Violência obstétrica: fique atenta aos sinais

Violência obstétrica: fique atenta aos sinais

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Sexta-feira 14 Janeiro, 2022 // #gravidez, #gravida, #violencia-obstetrica

Agora que está grávida, você deve ter percebido que todo mundo tem uma história de gravidez para contar. Infelizmente, você vai ouvir algumas que podem parecer até violentas — e talvez sejam mesmo.

No Brasil, 45% das gestantes sofrem violência obstétrica no parto quando atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e 36% sofrem com essa violência por parte de profissionais de saúde durante a gravidez, segundo a pesquisa “Nascer no Brasil: inquérito nacional sobre o parto e o nascimento”, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).


Mas o que é violência obstétrica?

Ainda há pouca literatura e definição para o tema, mas os parâmetros usados pelo levantamento da Fiocruz dão um panorama abrangente de o que é a violência obstétrica: agressões verbais e psicológicas, tratamento desrespeitoso, falta de transparência de informação e impossibilidade de fazer perguntas e de participar das decisões.

Na prática, um dos episódios mais frequentes de violência obstétrica é a prática da episiotomia. Muito usada no passado, a episiotomia é um corte feito no períneo da gestante na hora do parto para que o bebê saia com mais facilidade. Entretanto, o corte ou os pontos dados para fechá-lo podem trazer sequelas à mulher, como infecção e dores nas relações sexuais. Ainda que em casos específicos a episiotomia seja necessária, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que ela seja usada entre 10% e 30% dos nascimentos. No entanto, no Brasil, o registro de partos em que a técnica é usada é de 56%, segundo o Ministério da Saúde.

Muitas vezes, os casos de violência obstétrica começam ainda na escolha do tipo de parto: não é incomum o relato de mulheres que gostariam de ter seus filhos naturalmente e foram induzidas ou mesmo coagidas a buscarem uma cesárea. No Brasil, 55% dos partos são feitos por cesariana, quando a OMS indica que esse índice fique por volta de 15%.

É importante lembrar que quem escolhe o tipo de parto que deseja ter é a gestante, considerando as condições da sua gravidez e do bebê. Essa decisão só pode ser alterada se a vida de um dos dois estiver em risco e sempre com o consentimento da mulher.


Como posso evitar ser vítima de violência obstétrica?

Larissa Cassiano, obstetra especialista em gravidez de risco, afirma que a melhor ferramenta é a informação. “Se puder escolher o ou a obstetra que vai acompanhar sua gravidez, se informe, busque referências de outras parturientes que já foram pacientes e pergunte tudo sem pudores”, afirma.

Questione suas amigas e conhecidas sobre como foi a relação delas com o ou a obstetra. Pergunte como é a consulta, o quanto de informação e explicação o médico ou a médica dá sobre os procedimentos, que tipo de exames costuma fazer durante as consultas, como reage às decisões e dúvidas da paciente, peça para que elas relatem detalhadamente como foi o parto e reúna o máximo de informações para que você tome uma decisão acertada.

Se ainda assim, ao longo da gravidez, você não estiver em sintonia com o ou a profissional, não tenha medo de mudar. Pensando nisso, a outra dica que Larissa Cassiano dá é a de ter um plano de parto definido e começar a pensar nele ainda no início da gravidez. Dessa forma, caso você queira ou precise mudar de médica ou médico, já terá estabelecido como deve ser o seu parto.


Rede de apoio

Falando em plano de parto, compartilhe e alinhe essas informações com quem vai acompanhar você na maternidade e, de preferência, com mais de uma pessoa. Muitas vezes, durante o parto, as emoções estão à flor da pele e a mãe ou o pai podem não estar atentos o suficiente para garantir que tudo saia como desejam.

É importante lembrar também que toda gestante tem direito a pelo menos um acompanhante durante o parto. Caso você seja impedida de ter alguém do seu lado, o que também é um tipo de violência obstétrica, acione a diretoria do hospital e a polícia, se necessário.

Como denunciar?

No Brasil, ainda não há lei contra a violência obstétrica, especificamente. Se a denúncia for feita na polícia e na justiça, em alguns casos, pode ser enquadrada como lesão corporal e danos morais.

Além disso, uma alternativa diante de uma violência obstétrica é fazer uma queixa ao hospital, à operadora do plano de saúde e ao Conselho Regional de Medicina (CRM). Se você sofreu ou presenciou um caso de violência obstétrica, não hesite em denunciar nesses canais.

* Os especialistas consultados sobre esta matéria foram ouvidos como fontes jornalísticas, não se utilizando do espaço para a promoção de qualquer produto ou marca.

Para mais conteúdos como este, acesse o Mais Abraços.

# 2D # 3D # 2-semana # 3-meses # abdominal # academy # acalma-lo # acne # acucar # afeto # alimentacao # alimentação # alimento # alimentos # amamentacao # amigos # amor # anemia # anestesia # ansiedade # apoio # aprendendo # aprender # arroto # asfixia # atividade-fisica # autoestima # baba # bebe # bebê # bebe-recem-nascido # bebes # beleza # bem-estar # beneficios # bolo # bolsa # bonita # brincadeira # burnout # cabelo # cadeirinha # calcio # calma # canal # cansaco # cansada # carinho # carreira de mãe # carrinho # casais # catapora # cefalica # celulas-tronco # cerebral # cesarea # cesaria # cesariana # cha-bar-de-bebe # cha-de-bebe # cha-de-bencao # cha-de-fraldas # checklist # choro # cirurgias # coceira # colestase # colestase-gestacional # colicas # colostro # comemoracao # comida # compahia # complicacoes # comunicacao # comunicar # contracao # contracoes # convites # cordao # cordao-umbilical # corpo # cosmeticos # creche # crescimento # crianca # criança # cuidados # data # decoracao # decoração # defesas # dentes # dentista # depois-dos-40 # depressao # dermatite # desapego # descolamento-de-placenta # desejos-sexuais # desenvolvimento # desenvolvimento infantil # diabetes # diabetes-gestacional # diastase # dicas # dieta # diferente # disciplina # disney # doencas # doencas-infecciosas # doente # dor # dores # dormir # doula # ebook # ecografia # economia # economizar # eczema # educacao # educação-positiva # emocao # emocoes # empreendedorismo # emprego # empresa # engravidar # episiotomia # estagios # estimulacao # estimular # estomago # etapas # exercicio # exercício # exercicios # expulsao # fala # familia # fases # fatiga # fator-rh # faxineira # ferro # fertilização-in-vitro # festa # feto # ficas # figado # filho # filhos # fisioterapia-pelvica # forceps # formula # fralda # fraldas # gases # genero # gentileza # gestacao # gestação # gestacao-multipla # gestacoes # gestante # gestantes # gravida # gravidas # gravidez # gripe # hemorragia # higiene # higieni # higienizacao # hiperemese-gravidica # historia # historias # home office # humor # idade-gestacional # ideias # incomodo # inducao # infantil # infeccao # introducao # introducao-alimentar # iodo # irmao # lembranças # lembrancinhas # licenca-maternidade # licença maternidade # limpeza # linguagem # liquido # liquido-amniotico # mae # maisalegria # mamilos # manchas # massagem # massagens # maternidade # medicacao # menina # menino # menosestresse # menstruacao # momentos # motoras # movimentos # mucoso # mudanca # mudanças # mudar # mulher # mulheres # multipla # nariz # nasal # nascimento # naturais # natural # neurodesenvolvimento infantil # noite # nome # nona # normal # nutrição # nutrientes # oportunidades # pai # parto # parto-multiplo # parto-natural # parto-vagina # passinho # paternidade # paternidade ativa # pediatricas # pele # peso # placenta # planejamento # podcast # posicao # pos-parto # pós-parto # prematuro # pre-natal # pré-parto # pre-parto # presentes # puerperio # pulmoes # quantidade # quero-engravidar # recem-nascido # recem-nascidos # recuperacao # rededeapoio # refluxo # relato # relaxoes-sexuais # repouso # respiracao # respirar # rh # rifa # riscos # rotina # roupas # sal # sangramento # sangramento-de-implantacao # sangue # saudavel # saude # saúde # segundo # segundo-trimestre # seguranca # segurança # seios # semana # sensacoes # sentidos # sexo # sexual # sharenting # sinais # sintomas # socializacao # solidos # sono # sonolencia # sujeira # suplementacao # sustentavel # tamaho # tampao # tentante # tornar-se # trabalhar # trabalho # trabalho-de-parto # trabalho-parto # transicao # transplante # transtorno do espectro autista # tratamentos # trauma # troca # troca-de-fraldas # ultrassom # unhas # urticaria # utero # vacina # vagina # varizes # veia # verão # violencia-obstetrica # virtual # virus # vitaminas # vitamina-s # vomitos