A música no desenvolvimento infantil

Dançar com bebês e crianças só faz bem

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Terça-feira 17 Novembro, 2020 // #bebe, #desenvolvimento, #estimulacao, #crianca

Dançar com bebês e crianças só faz bem

Olho no olho, contato corporal, carinho e troca de emoções. A interação entre pais e filhos tem um papel fundamental para a criação do vínculo entre eles e de um desenvolvimento infantil saudável, completo e feliz. E uma das maneiras mais gostosas de interagir com os pequeninos é dançando com eles!

Durante o período gestacional as mães podem, e devem, arriscar uns passinhos de dança. A partir do sexto mês de gravidez, os movimentos do bebê ganham complexidade: o que antes era reflexo passa a expressar o estado emocional do feto. E quando uma mãe dança, ela mostra para ele como é que se faz! Além de aumentar o repertório de atividades motoras do filho, a mãe demonstra ao bebê como está se sentindo. Mas, lembre-se: cuidado com os movimentos e com quedas, remexa o esqueleto de forma segura!

Depois que o bebê nasce, a dança ganha ainda mais valor e é uma forte ferramenta para criar elos inquebráveis. “Ao bailar com uma criança, ela sente o seu movimento respiratório e sua sincronicidade, além de aprender alguns elementos importantes como empatia e compartilhamento de emoções”, afirma o neuropediatra Dr. Mauro Muszkat.

E a dança anda de mãos dadas com a música, o que estimula a criatividade dos pequeninos veja mais em: A importância da música para o desenvolvimento infantil. “Quando uma criança escuta música com variações de tons, como do grave para o agudo, ela desenha primeiro em sua cabeça o movimento que fará”, explica o médico. Isso é estimulação cerebral por meio da imaginação.

Mas os estímulos não param por aí! “Dançar também facilita a composição do espaço e estimula o desenvolvimento da motricidade da criança. Essa área é ligada ao cerebelo e quanto mais precoce e maior for o estímulo, melhor será a precisão dos movimentos que ela fará”, garante o Dr. Mauro.

Bebês de colo também dançam, aninhados aos pais e mães em movimentos amenos, mais ondulares e nada bruscos. Chacoalhar muito os pequenos pode prejudicá-los, portanto evite.

Conforme crescem, a dança e o leque de movimentos crescem junto com eles. Bebês e crianças abrem os braços, mexem as perninhas, giram, rebolam conforme entendem a música e os sons. Não tem certo ou errado ao dançar, o importante é encorajá-los a expressar seus sentimentos com o corpo. E é mesmo uma fofura!

Agora, que tal convidar o seu filho para dançar? Escolha uma música veja mais em: Existe um tipo de música ideal para o desenvolvimento infantil? e boa diversão! Para ficar por dentro de tudo sobre desenvolvimento infantil é só continuar navegando na plataforma Mais Abraços.