O papel dos avós e a sua importância para a saúde física e mental dos pequenos

O papel dos avós e a sua importância na infância

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Terça-feira 3 Novembro, 2020 // #crianca, #desenvolvimento

O fato de que os avós sejam muito menos exigentes com os netos do que foram com os seus filhos é totalmente compreensível, pois nesta nova etapa eles já não têm a pressão nem a responsabilidade da criação, o que faz que eles tenham uma atitude mais relaxada com os seus netos.

É normal sentir que ultrapassam os limites que a mãe e o pai estabelecem para os seus filhos, porque depois de tudo eles já não têm a obrigação de incentivar a disciplina. Às vezes isto pode se converter em um problema, não tanto porque realmente estejam educando mal o seu bebê, mas porque os pais consideram que os avós minimizam a sua autoridade.

Se você sentir que os avós mimam muito os seus filhos, veja o lado positivo: os avós acostumam ter mais paciência do que os pais. Além disso, quando o seu filho crescer lembrará com muito amor daquela vez que o seu avô se tornou o seu cúmplice em alguma travessura; ou que a sua avó sempre lhe dava um chocolate às escondidas.

Diga sim ao amor e não aos excessos

Nem sempre são os avós que os mimam, às vezes é algum tio, tia ou outro familiar que faz este papel. Provavelmente, sejam eles que deem balas às escondidas ao seu bebê ou permitam que assistam à televisão por mais tempo do que você gostaria.

Todas estas são atitudes inofensivas e o nosso conselho é que você não se preocupe muito. Sejam os avós ou algum outro familiar, o importante é que você compreenda que estas pessoas não estão apenas curtindo muitíssimo o seu bebê, mas também estão fazendo o seu bebê muito feliz com a companhia deles e com os seus mimos; e isso é algo muito valioso.

Porém, sabemos que às vezes não é fácil lidar com esta situação, por isso lhe damos algumas dicas para que reine a paz:

  • Leve-os em consideração: escutar a outra pessoa, ainda que não estejamos de acordo ou finalmente façamos algo diferente ao que nos foi aconselhado. É suficiente para fazê-los sentir incluídos e evitar confrontações.
  • Mantenha a sua mente aberta: nunca diga “não” sem explicar as suas razões e sem escutar as deles. Apesar de que pensem distinto, você pode aprender muito da sua experiência.
  • Estabeleça claramente a diferença entre mimar e ser permissivo: as crianças aprendem imitando. Se os avós têm atitudes que você não gosta ou que não aprova, ou se você considera que deliberadamente incitam o seu filho a desafiar a sua autoridade, estabeleça limites de maneira pontual.

Às vezes manter o equilíbrio é complicado, mas não impossível. Tenha presente que a relação entre avós e netos é um vínculo muito distinto ao que temos com os nossos filhos e, não podemos exigir que eles tratem os nossos filhos como nos trataram. Despois de tudo, sim é certo que o seu papel é mimá-los!