Criança criança durante um delicioso banho de banheira  com os cabelos ensaboados

Mas afinal, raspar o cabelo do bebê altera o aspecto dos fios?

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Terça-feira 24 Março, 2020 // #bebe, #cuidados

Muita gente aconselha a raspar a cabeça dos bebês ou das crianças pequenas para fazer com que o seu cabelo seja mais abundante ou sedoso, para que cresça mais forte, para fazer que o cabelo liso fique encaracolado, ou para que os cachos fiquem mais definidos, etc. Porém, isto é um mito, já que o aspecto e a quantidade de cabelo de cada pessoa estão definidos por fatores genéticos.

Alguns pais decidem raspar a cabeça do seu bebê por uma questão estética, seja porque às vezes o seu cabelo é muito rebelde ou cresce de maneira irregular. Antes de fazê-lo, tenha presente que o cabelo com que nascem não é algo que tenhamos que corrigir, pois a sua função é proteger o seu bebê limitando a perda de calor através da sua cabeça, o que é essencial para os recém-nascidos, cujo organismo ainda não é capaz de regular a sua temperatura corporal completamente.

Além disso, as características do cabelo com o qual nasce o seu bebê não são definitivas, algumas crianças nascem com o cabelo muito loiro e este se escurece com o tempo até chegar à sua cor definitiva, o mesmo acontece com os seus olhos. Isto acontece porque o seu bebê ainda não produz suficiente melanina para atingir a cor do cabelo e dos olhos determinada pelos seus genes.

O cabelo do seu bebê protege-o do frio

Raspar o cabelo de crianças mais velhas também não ajuda a modificar a sua textura, cor ou a velocidade do seu crescimento; pois, como já foi mencionado, são questões hereditárias. Em realidade, a única maneira de manter o seu cabelo forte e saudável é que o seu bebê tenha uma nutrição balanceada, rica em vitaminas e minerais. Alguns dos alimentos que ajudam a ter uma boa saúde capilar são frutas, vegetais, legumes, cereais integrais, peixes graxos e laticínios.

A cabeça do seu bebê estará totalmente coberta de cabelos por volta dos 3 anos, mas se depois do primeiro ano ainda não tiver saído cabelo novo ou este for muito frágil, consulte o seu pediatra.