Sintomas gravidez ectópica

O que é gravidez ectópica?

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Quarta-feira 20 Maio, 2020 // #gravidez, #maternidade

A gravidez ectópica, também, conhecida como gravidez extrauterina ocorre quando o embrião implanta e começa a se desenvolver fora da cavidade uterina, na maioria dos casos em uma das trompas de Falópio.

O que é a gravidez ectópica?

Ocorre quando o óvulo foi fertilizado por um espermatozoide, mas em vez de seguir o seu caminho para o útero fica travado na trompa. Devido ao pequeno tamanho destas não é possível que um bebê possa crescer e se desenvolver ali, sendo sempre necessária a interrupção da gravidez. Se o embrião seguir crescendo produz uma ruptura na trompa causando hemorragias que põem em risco a saúde da mãe.

Através dos exames para comprovar se você está grávida, como o ultrassom ou laparoscopia, é possível observar se o embrião está devidamente posicionado no útero.

Muitas vezes se detecta desta maneira antes de que o embrião tenha crescido o suficiente para destruir a trompa e pode ser tratada com medicamentos, operação laser ou um eletrocauterização, sem destruir a trompa e mantendo a fertilidade.

No entanto, em muitos casos não existe a suspeita de que há uma gravidez, devido a que os sintomas aparecem uma vez que já existe uma fissura. Isto provoca leves sangramentos de consistência mais líquida e cor mais escura ao da menstruação, dores em um dos lados do abdômen e, se não for tratado, pode derivar em dores nos ombros, enjoos, baixa pressão arterial, náuseas e vômitos.

Gravidez ectópica: tratamento

Na grande maioria dos casos, a única maneira de tratar uma gravidez ectópica é interrompê-la com medicação ou cirurgia.

Os especialistas farão todos os esforços para preservar a fertilidade da mulher, entretanto, há ocasiões em que é necessário extrair a trompa de falópio onde o embrião estava instalado. Isto reduz a fertilidade da mulher, mas anula, já que a segunda trompa permanece intacta.

A gravidez extrauterina não afeta as futuras gestações já que são muito baixas as probabilidades de voltarem a se repetir nas futuras gerações.