Alimentação para grávidas mês a mês

Controle de pelo e necessidades energéticas durante a gravidez múltipla

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Sábado 4 Janeiro, 2020 // #gestacao, #cuidados, #saude, #maternidade

O organismo de uma gestante normal e bem-nutrida experimenta uma série de adaptações fisiológicas que garantem o crescimento e o desenvolvimento do feto e asseguram as reservas biológicas necessárias ao parto, à recuperação pós-parto e à lactação.

Já a gravidez de mais de um bebê ou gestação múltipla, requer cuidados extras, o ganho de peso, por exemplo, é uma exigência para gestantes à espera de mais de um filho, e, deve ser acompanhada por um médico especialista para que a dieta seja feita de forma adequada.

Alimentação recomendada durante a gestação múltipla

O Colégio Estadunidense de Obstetras e Ginecologistas (American College of Obstetricians and Gynecologists) recomenda um aumento entre 14 e 22 quilos em uma gravidez de gêmeos. Para as mães de trigêmeos recomenda um aumento de peso entre 22 e 27 quilos. Mas, é lógico, que isto sempre depende do peso de cada mulher e, neste caso, o seu médico tem a palavra final.

Você precisa ingerir mais calorias, proteínas e outros nutrientes e é recomendável que aumente o seu consumo de calorias. Alguns médicos aconselham que a grávida de gêmeos consuma 300 calorias diárias extra com relação a uma grávida que espera um só bebê.

O controle de peso na gestação múltipla

O controle do seu peso é fundamental. Se você aumentar muito pode indicar retenção de líquido e se não aumentar ou aumentar muito pouco pode estar indicando a possibilidade de que os seus bebês não estejam crescendo o suficiente.

Alguns estudos concluem que o ganho de peso adequado da mãe na primeira etapa da gravidez contribui para o desenvolvimento da placenta e favorece a chegada dos nutrientes aos bebês. A gravidez múltipla, também é mais curta que a de um único bebê e, por esta razão é muito importante o aumento correto de peso desde o começo.

Além disso, é importante que você tome a quantidade de líquido necessária. O risco de parto prematuro aumenta quando a futura mãe está desidratada.