Quantas contrações são normais às 36 semanas?

A 36ª Semana de gestação: reconheça as verdadeiras contrações

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Quarta-feira 20 Maio, 2020 // #gestacao, #estagios, #contracoes, #parto, #desenvolvimento

A partir da 36ª semana de gravidez as visitas ao médico devem ser semanais até o parto. Nesta fase é comum a ocorrência das falsas contrações, ou contrações de Braxton-Hicks, preparando o corpo para as verdadeiras contrações de expulsão do bebê durante o trabalho de parto, e você precisará se atentar aos detalhes para diferenciação de ambas.


Características das contrações da 36ª semana de gravidez

As contrações verdadeiras são regulares. Ocorrem a cada 2-3 minutos e chegam a durar, em torno de, 90 a 120 segundos cada uma.

São dolorosas e, geralmente, estão associadas à expulsão do tampão mucoso — fluxo gelatinoso, com rastros de sangue — e, a uma pressão na área vaginal.

No intervalo das contrações as dores cessam. Este é o momento de realizar exercícios respiratórios profundos e de relaxar os músculos para poder suportar melhor as próximas contrações.


O seu corpo na 36ª semana de gravidez

Neste momento o bebê desce para o orifício da pélvis diminuindo com isto a pressão para cima, possibilitando, como consequência, a melhora da sua respiração. Porém, a vontade de urinar será mais frequentemente, devido à compressão da bexiga.

O seu bebê na 36ª semana de gravidez

  • O seu bebê mede agora em torno de 47cm e pesa perto de 2700g;
  • O cabelo e as unhas já crescerem bastante durante este tempo, chegando a ser, inclusive, necessário cortar as unhas pouco tempo depois do nascimento;
  • O bebê está em pleno crescimento e agora, a gordura acumulada, muito importante na produção e retenção do calor corporal, dão um aspecto enrugado a pele do bebê;
  • À medida que o bebê cresce e o espaço interno diminui, você sente chutes mais fortes.

Caso perceba a ausência de movimentos ou um aumento contínuo deles entre em contato com o médico para que possa descartar problemas graves;

  • É recomendável que entre esta semana e a 37ª sejam feitos cultivos para a detecção dos estreptococos grupo B (EGB) devido à alta taxa de mortalidade que supõe uma infecção por esta bactéria no recém-nascido.

Vale lembrar que a evolução de crescimento do bebê varia principalmente considerando os fatores genéticos, recomendamos que você se atente para a semana anterior e posterior à semana que você se encontra atualmente, e, lembre-se o acompanhamento pré-natal com o obstetra é de extrema importância para saúde de mamãe e bebê.