Aplicações e tratamentos das células estaminais

Coleta de células-tronco do cordão umbilical

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Quarta-feira 7 Outubro, 2020 // #cuidados, #recem-nascido, #higiene

Estudos recentes indicam que no sangue do cordão umbilical do recém-nascido, está presente uma grande quantidade de células-tronco, as quais podem servir, por exemplo, para o tratamento de muitas doenças. Por essa razão, atualmente existem centros especializados na sua coleta e armazenamento, os quais são chamados bancos de células-tronco.

Chamam-se células-tronco ou células progenitoras ou, ainda, Stem Cell ou células-mãe, as células que possuem a capacidade de criar todos os tecidos, órgãos e sistemas do organismo e que, além disso, são capazes de se dividir indefinidamente.

As células-tronco são obtidas da medula óssea, localizada no centro de alguns ossos, e são utilizadas em transplantes para tratar doenças do sangue e do sistema imunológico, como leucemias, linfomas, síndromes mielodisplásicas, talassemia, tumores de medula óssea, entre outros.


Como funcionam os bancos de células-tronco?

De acordo com os estudos desenvolvidos, a utilização das células-tronco provenientes do cordão umbilical permitiria o tratamento destas doenças, evitando o risco da incompatibilidade no transplante, já que não é possível que sejam rejeitadas pelo organismo quando proveem do mesmo indivíduo.

Por outro lado, ainda está em etapa experimental e os cientistas preveem que a utilização das células-tronco, poderá ser a cura para doenças como a diabetes, a artrite reumatoide, o lúpus eritematoso, a doença de Parkinson e o Alzheimer.


Quais países contam com este desenvolvimento científico?

A Argentina, assim como os Estados Unidos, a Inglaterra, a Espanha e, na América Latina, o México e o Brasil, contam com empresas, tanto no âmbito privado como no âmbito público, que oferecem o serviço de Bancos de células-tronco do cordão umbilical.


Empresas que são bancos de células-tronco

As empresas privadas oferecem um seguro biológico próprio, uma reserva de células-tronco particular, para serem utilizadas quando a pessoa precisar durante toda a sua vida ou, se quiser, doar para algum familiar consanguíneo com o qual for compatível.

Quanto ao âmbito público, o Hospital de Pediatria Professor Dr. Juan P. Garraham recebe doação de sangue do cordão umbilical, para formar parte do Banco Público de Sangue do Cordão Umbilical à disposição das pessoas que precisarem.

Como todo novo desenvolvimento científico, existem posições divergentes em relação à utilidade que um indivíduo particular possa dar à sua própria reserva de células-tronco, provenientes do cordão umbilical. A comunidade científica não nega a comprovada utilidade e o potencial que possuem as células-tronco.