Dicas para a maternidade

Existe um manual para ser mãe?

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Quarta-feira 20 Maio, 2020 // #dicas, #gravidez, #maternidade

EXISTE UM MANUAL PARA SER MÃE?

É o seu dia para ser a melhor mãe

Ninguém nasce sabendo ser mãe, é algo que se aprende dia após dia. No entanto, aprender algumas coisas básicas dos primeiros meses de desenvolvimento do seu bebê será de grande ajuda para guiá-la durante essa primeira etapa com o seu pequen@ ao seu lado. Vamos começar entendendo as primeiras necessidades que seu pequen@ terá.

Amamentação:

A amamentação é muito importante, ao amamentar seu bebê atende às suas necessidades nutricionais e ao seu sistema imunológico. Quanto aos benefícios que têm para você, há estudos que comprovam que ajuda as mães a prevenir a depressão pós-parto. Ambos sairão beneficiados, além de ser um momento que estabelece um único vínculo inesquecível entre mãe e filho.

Fralda:

É possível que suas primeiras necessidades tenham um tom muito escuro, trata-se de um fenômeno que é conhecido como "mecônio", depois você notará como se vai ficando mais claro. Você também vai notar a frequência com que você vai trocar a fralda, o recomendado é um banho refrescante e mantê-lo limpo com lenços de Bebê Huggies®.

Cólicas:

É um sintoma nada agradável que surgirá, essas cólicas são provocadas pela quantidade de gases que o bebê ainda não pode expulsar com facilidade, você pode ajudá-lo massageando sua barriga.

Banho:

Você precisa saber que até que o cordão umbilical não desapareça não pode dar banho no seu filho, o que pode fazer é limpá-lo cuidadosamente com algum tipo de esponja ou pano. Recomenda-se definir um mesmo horário para o banho, de preferência à noite, primeiro, a fim de causar no bebê sensação de ordem e segurança e, segundo, para que ele relaxe antes de ir dormir.

Sono:

É aconselhável que nos primeiros 6 meses o bebê durma perto de você para que possa cuidar dele; quanto à posição, recomenda-se colocar o bebê de lado.

Choro:

Seu bebê poderá chorar por qualquer uma dessas razões: ele fez cocô ou precisa de uma troca de fralda, tem fome e/ou sede, sono, frio ou calor, gases; se alguma destas razões não faz com que pare de chorar, trate ele com carinho e acalme seu choro falando suavemente, com abraços e beijos.

Devo fazer um curso?

Muitas mães têm a necessidade de optar por fazer um curso com a finalidade de se sentirem mais confiantes. Existem diferentes opções de cursos que ajudam prepará-la em sua estreia, os conselhos dos profissionais podem orientá-la para fazer você se sentir mais confiante em tudo o que precisa saber. Nestes tipos de cursos, você pode conhecer temas sobre amamentação, a alimentação que seu bebê precisa, higiene do recém-nascido ou cuidados para seu bebê, como hora do banho ou limpeza nos utensílios que o bebê usa. Isto até o primeiro ano de vida.

Há também um curso bem conhecido por todos, este irá prepará-la para a chegada do seu bebê, com certeza você já ouviu falar sobre isso "curso psicoprofilático". Este curso consiste não só na preparação para um parto natural, mas também gerencia o que você deve saber sobre o nascimento e amamentação. Geralmente, é ministrado por uma educadora perinatal certificada.

O curso é dividido em três áreas:

  • Física: Nesta área mostram exercícios para fortalecer e tonificar alguns músculos que são necessários para estar em boas condições no trabalho de parto;
  • Emocional: Sabemos que com todas as mudanças que viveu e que está prestes a viver você se sente um pouco instável, mas, com paciência e amor, pode recuperar a confiança que tinha em seu corpo, além disto seu bebê procurará segurança em você;
  • Cognitivo: Do ponto de vista cognitivo, a psicoprofilaxia (técnica que ajuda o paciente a se sentir preparado antes da cirurgia) fornece ferramentas à parceira para que ela seja capaz de escolher o tipo de parto que quer ter.  

Além de fazer este curso, existem outras opções, você pode ler alguns destes livros que irão ajudá-la em seu desenvolvimento como mãe:

  1. 39 semanas e minhas experiências como mãe novata, de Esther Gili;
  2. Socorro! Meu bebê vem sem manual de instruções, de Blythe Lipman;
  3. O bebê mês e mês, de Claudia Vargas;
  4. O que as mães fazem, de Naomi Stadlen;
  5. 50 coisas que você deve saber sobre um recém-nascido.

Além de aprender a ser mãe, você deve aprender a gostar de ser mãe, uma vez que não existe uma fórmula perfeita. Dia após dia você vai descobrindo e não tem nada de errado nisso, na verdade é uma das experiências mais enriquecedoras da vida, nós garantimos.


Importância do curso psicoprofilático

Seja qual for o método de aprendizagem que você escolher, cursos, livros, conselhos familiares ou autodidata, o importante é que você confie no seu instinto de mãe e não se centre em nenhum método em particular, mas vá complementando sua dúvida por diferentes fontes, isso sempre lhe dará uma visão mais abrangente de como ser a melhor mãe.

Bem-vinda a esta nova escola que se chama ser mãe!