O que o pai pode fazer para criar vínculo com o bebê que ainda está na barriga - Mais Abraços
voltar

O que o pai pode fazer para criar vínculo com o bebê que ainda está na barriga

Muita gente diz que a mulher se torna mãe no momento em que descobre estar grávida. Mas que o homem só se torna pai depois de a criança nascer. Não precisa ser assim. O homem pode (e deve) assumir-se como pai desde o início da gestação e começar a construir sua própria relação com o bebê. “É importante que ele também construa um elo que possa gerar memórias positivas que levem o bebê a reconhecê-lo logo após o nascimento”, explica Ramy Arany, fundadora do Instituto KVT feminino, que trabalha pelos cuidados com a mulher em diversas áreas.

É inegável que, durante a gestação, a mãe é a ligação do bebê com o mundo. E é ela que serve como canal de comunicação por meio do qual todos os parentes próximos e amigos podem se aproximar do filho – principalmente o pai. “O bebê sente a presença do pai através destes momentos do dia a dia: do toque de sua mão na barriga da mãe; do amor que é passado neste momento; da voz pronunciada bem próximo do ventre; e, acima de tudo, da presença emocional do pai, através dos sentimentos positivos que a mãe transmite ao bebê provindos do contato com o homem”, explica.

Veja como ele pode se fazer presente durante toda a gestação – tanto para a mãe quanto para o bebê:

1) Acompanhar a mulher aos exames: Apesar de ser uma alegria poder ver o bebê nos exames de ultrassom, é normal que a mãe fique um tanto apreensiva quanto aos resultados – afinal, como ter certeza de que está tudo bem mesmo? Por isso, é ideal que a mulher sempre vá acompanhada ao médico – ninguém melhor que o pai para exercer essa função, certo?

2) Participar da compra do enxoval: Cada body, cada babador, cada sapatinho... Nossa, será que um bebê precisa assim de tanta coisa? Precisa! E deixar tudo pronto para a chegada do pequeno pode dar o maior trabalho. Tudo bem que nem todo homem é fã de fazer compras (e nem toda mulher também!), mas vale a pena se esforçar para participar do processo.

3) Imaginar como vai ser esse novo ser: Tratar o bebê que ainda nem nasceu como alguém que tem intenções, vontades próprias e que já faz parte da família é um dos principais ingredientes na formação do vínculo. Como você acha que seu filho será? Quais são as coisas que você deseja para ele? Pais e mães podem se divertir fazendo listas de tudo o que querem fazer com esse novo bebê – de viagens a coisas que querem ensiná-lo – e até características que eles acham que esse filho vai ter... Aliás, você já tem um nome para seu bebê? Essa pode ser a primeira lista!

4) Abusar do carinho: Beijo, massagens, falar bem pertinho da barriga... Tudo isso vale para acostumar o bebê com a sua voz e fazê-lo sentir todo o amor que você já nutre por ele!

especificação

AutorNaíma Saleh