Tatiane Martins e bebê na barriga

Relato de Kethlyn Cardoso — mamãe do Kauan

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Quinta-feira 1 Outubro, 2020 // #relato, #amor, #maternidade, #emocoes

Eu era uma menina, tinha 14 anos quando o Matheus nasceu. Imatura, pouco sabia da vida, mas tinha a minha mãe ao meu lado. E que diferença isso faz. Avó dedicada, um exemplo para mim.

Depois do Matheus, fui abençoada mais duas vezes, duas meninas – Giovanna e Helena.

Eu achava que a família estava completa. Pouco sabia! A vida é mesmo uma caixinha de surpresas.

Uma nova gestação, um ano depois do falecimento da minha mãe, só poderia ser para renovar a esperança e a alegria.

O mundo mudou quando eu estava no terceiro trimestre. E, apesar de todas as nossas dificuldades financeiras, que não são poucas, me senti privilegiada pela chance de parir na Casa Angela – uma casa de parto em São Paulo, que atende pelo SUS.

O grande dia chegou, e meu marido não saiu de perto de mim. Até a cozinheira do local me apoiou. Dizem que ela vive cantando. Ela cantou para mim sem saber o quanto me ajudava. Era a música da minha mãe, uma das suas favoritas. Foi como se ela estivesse ali, vendo a neta nascer:

“Nunca se esqueça, nem um segundo, que eu tenho o amor maior do mundo, como é grande o meu amor por você”.

Em meio ao caos que vivemos, pari em um local onde a palavra “humanizado” fez todo o sentido. Eu me vi amada, valorizada, respeitada.

Lavínia chegou em paz, cercada de amor, e foi direto para o meu peito, onde eu tenho a impressão de que ela nunca mais saiu. Um presente enorme para quem não tinha conseguido amamentar a última filha.

Nossos familiares ainda não puderam conhecê-la, estamos esperando tudo isso passar para termos o chá de fraldas que foi adiado.

Sonho em ver o Matheus, meu primogênito, já com seus 23 anos de idade, segurando a irmã no colo.

Ah! E tem um detalhe. Lavínia é, na verdade, Lavínia Isabel.

Isabel era o nome da minha mãe.

Às vezes eu me pergunto: quantos abraços moram em um único “pacotinho”?

A resposta é imediata: muitos! A felicidade tem 52,5 centímetros.

Esperança e a alegria.

Por: Tatiane Martins, Mamãe do Matheus, da Giovanna, da Helena e da Lavínia Isabel.