Criança com as maõs no rosto demonstra excesso de timidez na infância

Recomendações para ajudar os pais a lidar com a timidez na infância

Kimberly Clark Brand Mais Abraços // Quarta-feira 25 Março, 2020 // #desenvolvimento, #crianca, #maternidade

Seu filho tem todo o direito de ser mais retraído e isso não é, necessariamente, motivo de preocupação. Cada criança possui uma característica própria, e é preciso respeitá-la e de maneira nenhuma cobrar que ajam de uma forma ou de outra.

Quando existe excesso de retração que pode envolver dificuldades para se relacionar ou de aprendizado, talvez seja o momento de agir incentivando-a a ficar mais a vontade da forma mais natural possível. O bom dos pais será fundamental neste momento.

Alguns especialistas no desenvolvimento do cérebro dos bebês e das crianças sugerem que, ainda que a maioria das crianças superam a timidez com o tempo, entre 10% e 15% das crianças não a superam. Além disso, alguns psicólogos coincidem em que esta característica da personalidade está ligada ao temperamento e, frequentemente, não está relacionada com a criação: às vezes pais muito tímidos têm filhos muito extrovertidos e, vice-versa.

Por si mesma, a timidez não representa um obstáculo no desenvolvimento do seu filho. Porém, se esta o impossibilita a tentar coisas novas, poderia dificultar alguns processos como o aprendizado ou a linguagem. Se você achar que isto está acontecendo, consulte um especialista, que poderá ajudar você a evitar que a timidez não se torne um grande problema no futuro.

Dicas para ajudá-lo a superar a timidez

E se o seu filho for tímido por natureza, há muitas coisas que você pode fazer para ajudá-lo a soltar-se um pouquinho. Lembre-se que é importante ir ao seu ritmo e não o pressionar muito, já que o objetivo é fazer que ele se sinta seguro de si mesmo e do seu entorno.

Recomendações para pais e filhos

  • Assegure-se que você mesma está sendo um exemplo positivo. As crianças precisam ver você interagir com confiança com os outros, pois as crianças reproduzem o que veem ao seu redor.
  • Seja compreensiva, não se esqueça que os seus medos são reais e que talvez ainda não sejam capazes de comunicar os seus sentimentos.
  • Ajude-o a interagir com outras crianças dentro de um ambiente seguro. Por exemplo, você pode organizar um dia de brincadeiras.
  • Antes de ir a alguma festa ou reunião, explique a ele de que se trata e quem estará presente. Isto ajudará que tanta gente não o pegue de surpresa. Outra boa ideia é chegar cedo, desta maneira ele terá a oportunidade de ir se familiarizando mais facilmente com o ambiente.

O mais importante quando você tem uma criança tímida é ajudá-la a desenvolver as habilidades que parecem ser inatas nela. Isto a ajudará a melhorar a sua autoestima e a confiança em si mesma, seja cantando, dançando ou construindo coisas, o importante é que percebam que têm coisas boas para mostrar.